Logo IFRJ

“O Santo Sudário” na abertura dos Seminários da Licenciatura em Física

O auditório do Campus Nilópolis foi o palco de mais um Seminário da Licenciatura em Física, no dia 11 de março. A palestra do dia teve como tema “O Santo Sudário” e foi ministrada por Enio Frota da Silveira, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio (Puc-Rio).

Estiveram presentes o coordenador do curso de Licenciatura em Física, Marco Adriano Dias; o vice-coordenador do curso, Artur Vilar; professores e alunos do campus.

O Santo Sudário, também conhecido como Sudário de Turim, é uma peça de linho que possui a imagem de um homem que sofreu violência física semelhante ao ato de crucificação. Há quem diga que essa peça cobriu Jesus Cristo e, sobre isso, há evidências a favor e contra. A ciência tem tentado encontrar a resposta correta. Dentre as técnicas analíticas empregadas para isso, está a datação por carbono 14. Após apresentar os fundamentos desta técnica, o professor Enio expôs e discutiu seus resultados.

O professor de Astronomia da Licenciatura em Física Eduardo Seperuelo foi o responsável pelo convite ao palestrante Enio Silveira. “Como ele viria aqui fazer uma atividade com uma turma do ensino médio, pedimos que ele desse uma palestra para os alunos da graduação também e ele aceitou o convite”, disse.

Eduardo ressaltou que é gratificante ver a transmissão de conhecimento. “Enio foi meu orientador no doutorado. É a primeira vez que ele dá uma palestra aqui para a Licenciatura em Física e a graduação de modo geral e é bastante interessante, porque são várias gerações diferentes. Ele me orientou no doutorado e agora sou eu que oriento esses alunos”, falou.

Enio afirmou que ficou surpreso com a audiência. “Esperava que fosse pequena, é um tema que já foi muito debatido, foi objeto de conferências internacionais. Mas quando eu soube que havia um grupo de pessoas interessadas, me surpreendi. E fiquei agradavelmente surpreso com as perguntas também, porque foram de diferentes tipos. Vi que foi um assunto que despertou bastante interesse do público presente”, contou.

Para o coordenador do curso, esse é um tema que mexe muito com as pessoas. “A espiritualidade, as evidências da existência de Cristo, quando são tratadas por um cientista, as pessoas demonstram mais interesse para saber o que a ciência diz sobre isso”, disse Marco Adriano. De acordo com ele, foi uma palestra que juntou tanto a ciência quanto a história, a geografia e a cultura cristã.

Ainda segundo Marco, a linguagem foi acessível e, por isso, tinham pessoas de todas as idades e de todos os níveis de escolaridade. “Eu gostei de abrir o auditório esse ano e ver ele lotado, tivemos mais de 100 pessoas presentes: o pessoal do Ensino de Jovens e Adultos (EJA), do ensino médio, da graduação e os professores”, finalizou.

Ester Carvalho é aluna de 4º período da Licenciatura em Matemática e disse que achou o tema interessante. “Tratar de assuntos bíblicos ligados à ciência é um assunto muito interessante. E tratar disso com o questionamento de que existem provas, mas as provas não são tão concretas, é bom para que tenhamos debates”, disse.

Guilherme Carvalho é aluno do 1° período da Licenciatura em Física e também achou interessante a mistura da história e da ciência com a religiosidade. “Eu pouco conhecia sobre o carbono 14 e consegui aprender bastante. A morte de Jesus Cristo é um assunto que todo mundo tem de conhecimento, mas hà como se tirar outros assuntos e conhecimentos através desse fato histórico”, afirmou.

Colaboração: Camilla Fonseca 

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO