Logo IFRJ

Audiência pública em Volta Redonda discute importância dos institutos e universidades no Sul Fluminense

Em mais uma audiência pública no Sul Fluminense em defesa das universidades e institutos federais, representantes do legislativo, servidores, gestores, alunos, pais e representações populares se reuniram na Câmara de Vereadores de Volta Redonda, no dia 29 de maio. Em Pinheiral, a audiência aconteceu no dia 22 de maio, na Câmara de Vereadores do município.

O professor José Arimathéa Oliveira, pró-reitor de Desenvolvimento Institucional, Valorização de Pessoas e Sustentabilidade, presidiu a mesa diretora a convite do vereador solicitante da audiência, Jari Simão. O gestor defendeu a qualidade de ensino dos Institutos Federais ao apresentar que no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), o desempenho da Rede Federal está entre as cinco melhores da educação do mundo.

Já o reitor do IFRJ, o professor Rafael Almada, defendeu a importância do projeto de interiorização da Rede Federal, através dos Institutos Federais. O dirigente relembrou que o acesso ao ensino federal era restrito devido sua concentração, muitas vezes, nas capitais. O Professor Rafael apresentou ao público, ainda, o crescimento do IFRJ no Sul Fluminense. A instituição mais que dobrou o número de vagas de cursos técnicos na região, fortaleceu o ensino superior e a pós-graduação. No entanto, o orçamento da instituição vem decaindo, apesar do seu crescimento. O reitor expôs, também, que o IFRJ tem o potencial de ofertar mais 8 mil vagas no estado do Rio de Janeiro, contudo, esse crescimento pode ser freado devido a questões orçamentárias.

O diretor-geral do Campus Volta Redonda, o professor André Augusto Isnard, argumentou que a qualidade de ensino está diretamente ligada ao desenvolvimento da região. André reafirmou, ainda, que o anseio da população é a oferta de educação pública de qualidade. Já o diretor-geral do Campus Pinheiral, o professor Marcos Fabio de Lima, reafirmou que a posição é de resistência para manter o funcionamento e crescimento da unidade, mesmo diante das dificuldades.

A discussão em plenária abordou a importância de combater as chamadas fake news, a relevância do movimento estudantil, a relevância socioeconômica das universidades e institutos federais. Os dirigentes da Universidade Federal Fluminense, do polo de Volta Redonda, relataram a dificuldade de seu funcionamento, a partir de agosto, caso a previsão orçamentária se concretize. Os gestores argumentaram, ainda, a relação direta entre investimento e a excelência do ensino. Dentre os encaminhamentos da audiência, se apresentou a importância de uma nova discussão com a secretaria de educação do município de Volta Redonda, já que há impactos orçamentários previstos também na educação básica.

A audiência pública foi uma solicitação do vereador Jari Simão e contou, também, com a presença dos vereadores Edson Quinto e Washington Alves Uchôa. Dentre as autoridades, estiverem também presentes, a professora Neusa Magali de Carvalho Gonçalves (Diretora do Polo CEDERJ-Volta Redonda), o professor Afonso Aurélio de Carvalho Peres (Vice-diretor da Escola de Engenharia Industrial e Metalúrgica da UFF- Volta Redonda, representando a Diretora-Geral, Nadja Valéria Vasconcellos de Ávila); o professor Julio Cesar Andrade de Abreu (Diretor do Instituto de Ciências Humanas da UFF-Vota-Redonda) e a estudante de Direito da UFF-VR, Lisa Nonato de Oliveira Lima, líder estudantil e representante da Associação Popular por Diretos.

Colaboração: Greici Souza

 

 

 

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO