Logo IFRJ

IFRJ conquista primeiro lugar no programa Células Empreendedoras

premiação programa Células Empreendedoras

O IFRJ conquistou o 1º lugar na disputa nacional do programa Células Empreendedoras IFs 2018 com o projeto criado pela startup “Polimex: Soluções em Biopolímeros”, composta por estudantes do campus Rio de Janeiro. O projeto visa resolver o problema da poluição por plásticos com a produção de polímeros, utilizando fontes de matéria-prima 100% renováveis, para substituição dos plásticos tradicionais produzidos a partir de combustíveis fósseis.

O programa Células Empreendedoras IFs 2018 foi promovido pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) e reuniu seis Institutos Federais – Instituto Federal de Goiás (IFG); Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ); Instituto Federal de Pernambuco (IFPE); Instituto Federal do Paraná (IFPR); Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e Instituto Federal de Rondônia (IFRO) –, impactando mais de 660 alunos e 237 servidores por todo o país. O objetivo geral do programa é promover a criação e o desenvolvimento de ecossistemas de educação empreendedora nas instituições de ensino participantes.

A Conferência Final do programa – que ocorreu no dia 29 de novembro, no Auditório do Brum, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife – reuniu dez equipes de seis Instituições Federais para apresentar os resultados de dois meses de LivingLab, que ocorreu via EAD nos meses de outubro e novembro.


Equipe Polimex e mentora Simone Alves

Após uma rodada de negócios sociais com jovens alunos dos Institutos Federais e suas soluções inovadoras que nasceram no programa, a banca avaliadora – composta por empresários, investidores e empreendedores – escolheu as três startups vencedoras: “Polimex: Soluções em Biopolímeros” (do IFRJ), “Inocência” (do IFG), e “DescarPil” (do IFRO), em primeiro, segundo e terceiro lugar, respectivamente.  

A Polimex é formada pelos seguintes discentes do campus Rio de Janeiro: Gabriel Silva, do curso de Bacharelado em Ciências Biológicas, e José Paulo Cordeiro, Luan Campos e Lucas Batista, todos do curso Superior de Tecnologia em Processos Químicos.

O pró-reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (PROPPI), Rodney Albuquerque, comentou sobre a conquista: “Esta é a vitória do acreditar, é a vitória do ser possível, do acreditar no potencial de nossa juventude! Lembro-me de quando realizamos o evento do Células Empreendedoras no campus Paracambi no meio deste ano; no fundo, sabíamos de todo o nosso potencial empreendedor”, disse. O pró-reitor ainda salientou a importância de se investir em empreendedorismo e parabenizou os envolvidos: “Parabéns a todos, em especial à Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação, que, por meio de nossa agência de inovação, vem mostrando seu diferencial”, concluiu.


Equipe Polimex durante uma das reuniões na Proppi 

Além das startups, também foram premiados os três melhores mentores do programa, entre eles, a coordenadora-geral de Prospecção e Empreendedorismo (CGPEM) da Agência de Inovação da PROPPI e professora de Empreendedorismo do campus Rio de Janeiro, Simone Alves, que ocupou o 3º lugar: “Ter sido escolhida pelos próprios alunos entre os 6 melhores de 181 mentores de todo o Brasil já foi uma surpresa e uma emoção gigante. Eu não imaginava que, contando minha experiência em 3 minutos, pudesse ser escolhida entre os 3 melhores por uma banca de especialistas. Não tenho palavras para traduzir o sentimento de gratidão por isso”, comentou Simone.


Protótipo do bioplástico produzido pela Polimex

O aluno José Paulo, responsável pela apresentação como líder da equipe Polimex no programa, contou que a competição foi acirrada, mas que o grupo sempre confiou na vitória. “As outras startups tinham uma qualidade bem alta, mas o que fez a gente chegar em primeiro lugar foi o resultado do nosso trabalho. Isso nos deixa muito orgulhosos porque comprova que todo o esforço que fizemos valeu a pena, e recebemos grande recompensa”, falou. José também comentou sobre os próximos planos: “Pretendemos lançar nossos produtos no mercado nacional em 2019, internacionalizar a empresa e, futuramente, criar uma indústria, já que a Polimex é uma empresa de desenvolvimento tecnológico”, disse.

José Paulo também agradeceu ao IFRJ e à equipe do programa Células Empreendedoras: “Sem tudo o que a gente aprendeu no IF e sem essa maratona, não teríamos construído essa ideia e não teríamos as ferramentas para transformá-la em uma coisa concreta, em uma empresa de verdade”, concluiu. Além de vencedora do programa, a Polimex foi aprovada em dois editais externos de fomento a startups: “ProinterBio 2018”, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), e edital “Senai de Inovação”.

Células Experience

O Células Experience foi um evento fechado de confraternização com todos os finalistas e convidados do Ecossistema Empreendedor de Pernambuco. O encontro, que aconteceu no dia 30 de novembro, no espaço SinSpire, localizado no Recife Antigo, reuniu as três equipes vencedoras, que apresentaram seus projetos a investidores e empresários presentes.

A última etapa do programa, denominada “Jornada Empreendedora”, teve início no dia 1º de dezembro e vai até o dia 9 de dezembro. Nessa etapa, dois estudantes de cada uma das três equipes e os três mentores premiados receberão como prêmios uma viagem de intercâmbio com passagem, hospedagem e alimentação pagas, para conhecerem o ecossistema de referência mundial, premiado internacionalmente como benchmarking de empreendedorismo no Brasil, o “Porto Digital”, em Pernambuco.


Apresentação e treino do pitch da Conferência Final para o reitor e pró-reitores

 

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO