Logo IFRJ

Relações de transferências entre aluno e servidores são tema de curso de formação

O curso de formação para servidores do Campus Duque de Caxias, "Desafios e caminhos na escola diante do sofrimento psíquico contemporâneo”, realizou seu terceiro encontro no dia 08 de outubro. Foram debatidas as relações de vínculos e transferência entre alunos, professores e técnicos administrativos.

O conceito de transferência está presente em todas as relações humanas, mas, segundo Fábio Malcher, professor do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), as transferências tendem a acontecer com mais força nas relações escolares.

O professor explicou que as transferências podem ser distinguidas entre aquelas que acontecem com o objeto, isto é, entre o aluno e a instituição em que estuda, ou aquela de caráter pessoal, que se resume na relação entre o aluno e o professor ou funcionário técnico-administrativo. “As lembranças, boas ou ruins, que os estudantes trazem de determinado docente e/ou disciplinas, não derivam somente da didática, mas dos vínculos de transferências acontecidos em sala de aula”, afirmou.

Para Malcher, a contemporaneidade apresenta a dificuldade que determinados atores sociais têm de cumprir determinadas regras, inclusive no ambiente escolar. “Um professor pode reprovar seu aluno por falta. No entanto, o estudante tende a acreditar que está sendo perseguido pelo docente”, disse.

Finalizando o terceiro encontro do curso, Fábio pontuou que o aluno transfere para o professor a figura paterna e também os conflitos já existentes nessa relação. “Isso contribui para uma ‘transferência ambivalente’, caracterizada pelos estudantes como a relação de ‘amor e ódio’”, explicou.

Colaboração: Pedro Henrique da Silva Pereira

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO