Logo IFRJ

Semestre de conscientização no IFRJ Campus Niterói

O Núcleo de Gênero e Diversidade Sexual (NUGEDS) do IFRJ Campus Niterói realizou diversas atividades de conscientização para os alunos e para a comunidade durante o segundo semestre de 2019.

As ações buscaram seguir algumas datas especiais. A começar pelo “Agosto Lilás”, campanha que tem o objetivo de alertar e conscientizar a população sobre os tipos de violência contra a mulher e que, em 2019, comemorou os 13 anos da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340) – que busca punir os casos de violência contra a mulher. No campus, foi organizada uma oficina, que contou com uma roda de conversa entre mulheres e confecção de cartazes digitais.

Em seguida, foi trabalhado o “Setembro Amarelo”, mês de prevenção ao suicídio. A intenção foi mostrar para os alunos que eles não estão sozinhos e podem contar com a ajuda do IFRJ e de seus colegas nos momentos mais difíceis. Foram realizadas ações de motivação, como distribuição de abraços e de mensagens de incentivo, além de palestras, como a realizada pelo Centro de Valorização da Vida (CVV).  

Já em outubro, foi celebrado o “Outubro Rosa”, mês de conscientização sobre a prevenção e detecção do câncer de mama. No dia 31 do mês, alunos e servidores compareceram ao campus com blusa ou alguma peça de roupa rosa, em forma de apoio às mulheres que lutam contra ou que já venceram essa doença.

Por último, no mês de novembro, houve a celebração do Dia da Consciência Negra. Foi realizada uma “Tarde da Conscientização Negra”, que contou com a exibição de um vídeo sobre a “2ª Marcha do Orgulho Crespo em São Paulo”, uma palestra do grupo União de Negros pela Igualdade (UNEGRO), além de oficina de tranças e apresentação do Projeto de Extensão Literatro.

Outro evento em torno da temática do mês foi apoiado pelo Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI): debates e reflexões sobre racismo e intolerância religiosa aconteceram a partir da exibição do documentário “Nosso Sagrado”, sobre preconceito em relação às religiões africanas no Brasil. Além disso, foi realizada uma mesa com a presença do diretor do documentário, Jorge Santana; do historiador Eduardo Henrique Nogueira e de alunos africanos da Universidade Federal Fluminense (UFF), vindos de Gana e do Congo.

A professora Vanessa Motta, que dá aulas de Português e Inglês e é membro do NUGEDS do IFRJ Campus Niterói, organizou e colaborou com essas atividades. Ela também coordena dois projetos em torno da importância da conscientização dos alunos: “Diversidade sociocultural no Sapê” e “Feminismo no ensino”. O primeiro busca mapear o perfil de estudantes e moradores do bairro do Sapê, onde está localizado o Campus Niterói, analisando práticas sociais e opiniões dessa população. O segundo projeto foca no desenvolvimento de material didático digital e impresso sobre algumas pautas feministas no ensino de língua inglesa, como a saúde das mulheres e a desigualdade no mercado de trabalho.

“Acredito que o Campus Niterói está construindo sua identidade inicial. Nesse momento, é importante haver ações que busquem promover uma sensibilização sobre determinadas temáticas e contribuir para a formação de cidadãos mais críticos e tolerantes. Acredito que núcleos como o NUGEDS possam auxiliar a termos estudantes mais reflexivos sobre os seus papéis na sociedade”, disse Vanessa.

Colaboração: Suzana Carqueija

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO